Hetrin promove ação comunitária para conscientização sobre doação de órgãos e tecidos

A campanha Setembro Verde enfatiza a necessidade de disseminar e esclarecer à população a importância de ser um doador

0

HETRIN - Hospital Estadual de Trindade| Doação de órgãos | Setembro Verde

Os membros da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do Hospital Estadual de Trindade (Hetrin), unidade do governo de Goiás, uniram-se com o objetivo de conscientizar a população de Trindade sobre a importância da doação de órgãos e tecidos. Esta iniciativa foi realizada em dois locais: no Parque Municipal de Trindade Lara Guimarães e na Feira da Terra, situada no Carreiródromo da cidade.

Os membros da comissão do Hetrin distribuíram panfletos informativos e interagiram com pedestres e ciclistas que transitavam pelo parque, bem como com feirantes e visitantes da feira. Durante essas interações, eles esclareceram dúvidas relacionadas à relevância de se tornar um doador de órgãos ou tecidos e como essa ação pode contribuir significativamente para salvar vidas.

Leia Também
1 De 383

Durante o evento, a feirante Michelle Soares compartilhou sua experiência, revelando que, quando seu sogro faleceu, a família tomou a decisão de autorizar o hospital a realizar a captação de órgãos. “Nós doamos as córneas, o rim e o fígado, o que permitiu salvar vidas”, enfatizou. Escolhas como essa da família Soares desempenham um papel importante em ajudar as mais de 65 mil pessoas que estão na lista de espera por órgãos, uma das maiores listas registradas nos últimos anos.

 

Como ser doador de órgãos?

Muitas dúvidas costumam surgir em relação ao processo de doação de órgãos. É importante esclarecer que não é necessário realizar um cadastro específico, nem incluir uma autorização na carteira de identidade (RG) ou na Carteira Nacional de Trânsito (CNH). “Basta ter a vontade de ser doador e comunicar isso aos seus familiares, amigos e pessoas mais próximas, pois, atualmente, em caso de possibilidade de doação, são os familiares que tomam essa decisão”, explica o médico e membro do CIHDOTT do Hetrin, Igor Ferreira.

Dessa forma, a pessoa se torna elegível para a doação de órgãos no caso de uma eventual morte encefálica. Igor enfatiza ainda a importância de expressar esse desejo de ser doador, pois isso ajuda a evitar dúvidas ou complicações para os familiares durante um momento delicado. Portanto, é essencial compartilhar essa decisão em vida com entes queridos e amigos.

 

Primeira captação no Hetrin

O Hetrin, unidade administrada pelo Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (IMED), registrou sua primeira captação em abril deste ano. Após a confirmação da morte encefálica de um paciente da unidade e com a autorização da família, foi possível realizar a captação de órgãos do fígado e córneas. Esses órgãos foram encaminhados a pacientes que estavam na lista de espera por transplante em Goiânia e Brasília.

“Realizamos um ato de amor, pois a captação de órgãos é isso: amor e generosidade que possibilitam a continuidade da vida de quem está aguardando um órgão na lista de espera”, destaca Pollyana Bueno, gerente de enfermagem e coordenadora da CIHDOTT.

Os profissionais do Hetrin são especializados e treinados para oferecer apoio emocional às famílias e apresentar a oportunidade de doação de órgãos e tecidos. “Apesar de ser um momento difícil, os familiares tiveram a sensibilidade de respeitar o desejo do paciente e autorizar a doação, por isso é muito importante que as famílias conversem sobre o desejo de ser um doador de órgãos e tecidos, pois este ato pode salvar muitas vidas”, afirma Vânia Fernandes, diretora do Hetrin.

Assessoria de Comunicação do Hetrin

Débora Alves – 62 99172-2266

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Show Buttons
Hide Buttons