Em agosto, valor médio da cesta básica subiu em quatro das oito cidades pesquisadas

BH apresentou a maior alta no valor da cesta de 9,4%. Frango, arroz, açúcar, manteiga e margarina apresentaram alta em todas as capitais

0

O valor médio da cesta de consumo básica de alimentos de agosto/23 subiu em relação ao mês anterior em quatro das oito capitais analisadas mensalmente pela plataforma Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE. O aumento no valor foi de 1,2% a 9,4% e nas capitais onde houve queda, as variações foram de -1,1% a -1,9%. O resultado interrompe uma série de tendência de queda nos últimos três meses, quando mais cidades apresentaram redução, ao invés de aumento, no valor da cesta.

As cidades que registraram as maiores altas foram Belo Horizonte e Rio de Janeiro, com 9,4% e 3,0%, respectivamente. Já Curitiba e São Paulo apresentaram as maiores quedas, com -1,9% e -1,4%, respectivamente.

cesta voltou a ser a do Rio de Janeiro (R$ 836,57), seguida pelas de São Paulo (R$ 814,11) e Fortaleza (R$ 709,96). Por outro lado, as capitais Belo Horizonte (R$ 618,67), Manaus (R$ 649,13), e Brasília (R$ 680,78) registraram os menores valores.

 

Leia Também
1 De 383

Tabela 1 – Valores da Cesta de Consumo básica por capital em agosto/23

Cesta Básica
Capital Valor Médio Jul/23 Valor Médio Ago/23 Variação
Belo Horizonte 565,48 618,67 9,4%
Rio de Janeiro 812,36 836,57 3,0%
Salvador 672,25 683,23 1,6%
Manaus 641,72 649,13 1,2%
Brasília 688,29 680,78 -1,1%
Fortaleza 719,16 709,96 -1,3%
São Paulo 825,55 814,11 -1,4%
Curitiba 716,34 703,02 -1,9%

 

Dos 18 produtos da cesta básica, cinco produtos apresentaram aumento no preço em todas as cidades pesquisadas, manteiga, açúcar, margarina, arroz e frango, enquanto o preço dos legumes registrou queda em todas as capitais.

 

Tabela 2 – Produtos com maiores altas de preços médios da cesta de consumo básica nas capitais em agosto/23

Var (%) no mês
Capital Manteiga Frango Margarina Arroz Açúcar
Belo Horizonte 5,9% 3,8% 3,7% 4,8% 2,0%
Brasília 2,4% 1,2% 4,6% 5,5% 1,3%
Curitiba 4,5% 4,2% 5,1% 3,7% 10,1%
Fortaleza 0,2% 1,9% 2,0% 1,0% 2,1%
Manaus 1,5% 5,0% 2,4% 0,7% 0,0%
Rio de Janeiro 3,0% 3,4% 1,9% 3,7% 2,4%
Salvador 5,5% 2,6% 0,3% 3,0% 1,0%
São Paulo 5,4% 5,3% 6,0% 3,5% 3,2%
Var (%) no mês
Capital Café em Pó e em Grãos Massas Alimentícias Secas Fubá e Farinhas de Milho Leite UHT Óleo
Belo Horizonte 2,9% 2,9% 4,3% 0,7% 5,3%
Brasília 2,7% 3,3% -0,5% 4,2% 3,4%
Curitiba 4,3% 4,2% 6,8% 3,7% 10,2%
Fortaleza 1,6% 0,6% 1,3% -0,6% -0,2%
Manaus 5,5% 3,3% 1,5% 1,9% 4,2%
Rio de Janeiro -0,5% -0,2% 0,3% 2,7% 11,0%
Salvador 3,0% 3,0% 3,6% -0,2% -0,3%
São Paulo 2,4% 5,5% 6,0% 0,2% 0,7%

 

O aumento nos preços da cesta básica acompanhou a tendência de alta mostrada pelo IPCA-15, que em agosto ficou em 0,28%, refletindo no preço dos alimentos nas gôndolas.

A alta registrada na margarina deriva do aumento no preço de óleos vegetais, que é um dos principais componentes de produção, devido ao fim do acordo de grãos entre Rússia e Ucrânia.  Já o frango vem aumentando o preço devido à redução de oferta e ao aquecimento da demanda, segundo o CEPEA. A alta no preço do arroz, por sua vez, foi impulsionada pela restrição na oferta do produto, além do cenário de aquecimento nas exportações e maior busca por arroz brasileiro no mercado internacional.

A queda no preço de frutas e legumes na maioria das capitais permanece em destaque pelo segundo mês consecutivo. No caso de legumes, essa redução está atrelada ao clima favorável e ao aumento da oferta pelos produtores, com a queda no preço sendo puxada pela batata.

As frutas apresentaram redução de preço pelo segundo mês consecutivo, devido à queda nos preços de laranja e melancia, que têm sua demanda reduzida com climas mais frios. Outros produtos também registraram redução no preço como os listados abaixo.

Tabela 3 – Produtos com maiores quedas de preços médios da cesta de consumo básica na maioria das capitais em agosto/23

Var (%) no mês
Capital Legumes Frutas Bovino Feijão Suíno
Belo Horizonte -0,6% 10,4% 4,6% -0,4% 4,0%
Brasília -7,2% -3,6% -17,9% 2,3% -14,9%
Curitiba -11,4% 2,6% -15,3% 3,3% 16,9%
Fortaleza -1,3% -5,8% -10,3% -1,6% -7,2%
Manaus -1,2% -0,9% 0,4% -2,2% -2,1%
Rio de Janeiro -14,0% -2,7% -6,4% 4,0% 3,3%
Salvador -4,4% -2,8% 3,0% -3,9% -1,7%
São Paulo -4,4% -4,7% -3,8% -3,5% -6,6%

 

A variação acumulada dos últimos seis meses no valor da cesta básica caiu em sete das oito capitais, com reduções que variam de -9,1% a -0,6%. Apenas em Curitiba foi registrado aumento no período, com alta de 3,1%. A redução mais significativa foi no Rio de Janeiro, com queda de -9,1% no período.

 

Tabela 4 – Valores da cesta de consumo básica nos últimos 6 meses

Cesta Básica

  Valor Médio (R$)  
 

Capital

mar abr mai jun jul ago  

Variação

Curitiba 703,47 715,28 709,18 694,71 716,34 703,02 3,1%
Fortaleza 732,55 743,91 728,65 723,49 719,16 709,96 -0,6%
São Paulo 854,61 858,18 853,05 852,30 825,55 814,11 -3,1%
Belo Horizonte 612,72 631,21 623,60 594,19 565,48 618,67 -4,8%
Manaus 683,28 666,76 668,73 675,31 641,72 649,13 -5,0%
Brasília 744,29 747,69 736,88 731,70 688,29 680,78 -5,9%
Salvador 720,72 706,81 710,41 715,17 672,25 683,23 -6,0%
Rio de Janeiro 889,69 916,11 918,25 893,93 812,36 836,57 -9,1%

 

Os alimentos que mais subiram e os que mais caíram de preço nos últimos seis meses de 2023, em praticamente todas as capitais, estão apresentados nas tabelas a seguir.

 

Tabela 5 – Alimentos da cesta básica que mais subiram de preço nos últimos 6 meses

Var (%) no período
Capital Ovos Azeite Massas Instantâneas Achocolatado/Modificador Verduras
Belo Horizonte 14,9% 12,4% 5,5% 7,6% 6,1%
Brasília 9,6% 3,8% 3,9% 4,4% 7,0%
Curitiba 22,0% 11,2% 9,4% 7,9% 7,9%
Fortaleza 10,4% 8,2% 10,6% 5,1% 2,7%
Manaus 5,6% 7,6% 4,9% 9,5% 13,5%
Rio de Janeiro 9,3% 13,7% 8,0% 6,6% 5,9%
Salvador 13,7% 10,8% 9,2% 8,5% 7,2%
São Paulo 11,5% 8,8% 7,9% 6,5% 4,1%

 

Tabela 6 – Alimentos da cesta básica que mais caíram de preço nos últimos 6 meses.

Var (%) no período
Capital Óleo Bovino Frutas Feijão Suíno
Belo Horizonte -23,3% -5,1% -7,2% -11,9% -8,3%
Brasília -20,6% -18,6% -4,8% -7,2% -18,4%
Curitiba -20,8% -20,4% -12,2% 1,6% 7,8%
Fortaleza -17,6% -14,8% 5,1% -4,6% 3,7%
Manaus -20,4% 4,1% -4,2% -5,9% -5,1%
Rio de Janeiro -18,2% -7,6% -12,5% 0,9% -6,0%
Salvador -14,3% -2,8% -8,2% -11,6% -7,5%
São Paulo -16,6% -4,4% -16,5% -14,3% -11,5%

 

Quando se considera a cesta de consumo ampliada, que inclui bebidas e produtos de higiene e limpeza, além de alimentos, houve aumento no valor médio em seis das oito capitais analisadas e queda apenas em Curitiba e Fortaleza com -1,5% e -0,3%, respectivamente. As capitais que apresentaram valores mais altos da cesta ampliada foram Rio de Janeiro (R$ 2.006,40) e São Paulo (R$ 1.924,05). A maior variação no valor da cesta ampliada foi registrada em Belo Horizonte (12,6%).

Manaus e Fortaleza apresentaram os menores valores da cesta ampliada, com R$ 1.468,88 e R$ 1.648,03, respectivamente.

O comportamento da cesta de consumo ampliada seguiu a tendência da cesta básica, sugerindo que o movimento de aumento dos preços afetou não somente os itens da cesta básica, mas os demais produtos.

 

Tabela 7 – Valores da cesta de consumo ampliada por capital em agosto/23

Cesta Ampliada
Capital Valor Médio Jul /23 Valor Médio Ago/23 Variação
Belo Horizonte 1508,87 1698,24 12,6%
Rio de Janeiro 1858,93 2006,40 7,9%
Brasília 1703,16 1785,08 4,8%
Salvador 1607,00 1663,60 3,5%
Manaus 1419,60 1468,88 3,5%
São Paulo 1892,51 1924,05 1,7%
Fortaleza 1653,50 1648,03 -0,3%
Curitiba 1710,86 1685,32 -1,5%

 

Dos 33 produtos da cesta ampliada, 18 apresentaram aumento em todas as capitais, como mostram as tabelas a seguir.

 

Tabela 8 – Produtos com maiores aumentos de preços médios na cesta ampliada em agosto/23

Var (%) no mês
Capital Massas Instantâneas Requeijão Achocolato/ Modificador Água Mineral Papel Higiênico
Belo Horizonte 5,7% 6,2% 4,5% 6,3% 3,1%
Brasília 7,1% 3,6% 3,7% 1,6% 6,5%
Curitiba 4,3% 5,6% 4,5% 5,8% 4,8%
Fortaleza 2,3% 1,3% 1,0% 0,8% 2,2%
Manaus 3,8% 2,1% 0,5% 6,2% 3,7%
Rio de Janeiro 1,2% 1,9% 2,8% 1,0% 3,9%
Salvador 2,5% 6,8% 2,5% 1,1% 2,7%
São Paulo 5,7% 3,6% 2,5% 0,8% 2,2%
Var (%) no mês
Capital Azeite Snacks e Salgadinhos Chocolate Linguiça Desodorante
Belo Horizonte 3,3% 4,8% 6,1% 5,6% 3,9%
Brasília 4,9% 4,2% 2,3% 6,9% 2,8%
Curitiba 3,0% 4,9% 3,5% 4,8% 4,4%
Fortaleza 2,4% 2,3% 3,4% 5,2% 0,7%
Manaus 2,2% 3,3% 7,6% 2,3% 4,9%
Rio de Janeiro 3,2% 2,1% 7,5% 7,2% 2,9%
Salvador 4,7% 1,2% 4,7% 1,6% 2,0%
São Paulo 3,8% 1,5% 5,2% 1,8% 4,8%

Depois de três meses apresentando tendência de queda, o valor da cesta básica apresentou alta na maioria das capitais em agosto, refletindo a correção no preço dos produtos importantes na mesa do consumidor, como arroz, frango, manteiga, margarina e açúcar, afetando especialmente os menos favorecidos, que gastam a maior parte de seu orçamento em alimentação.

 

Sobre a Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE

A HORUS Inteligência de Mercado (https://www.ehorus.com.br/) e o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas – FGV IBRE (https://portalibre.fgv.br/) se uniram para lançar a plataforma Cesta de Consumo. O serviço monitora a variação de preço de duas cestas de consumo típicas brasileiras pela análise da leitura mensal de mais de 35 milhões de notas fiscais: a Cesta de Consumo Básica, que conta com 22 alimentos básicos com maior presença nas compras do shopper, e a Cesta de Consumo Ampliada, contendo mais de 50 produtos de consumo, incluindo bebidas e itens de limpeza, higiene e beleza.

A plataforma, que pode ser acessada no link https://cestaconsumo.ehorus.com.br/ monitora a variação e o comportamento dos preços nas oito maiores capitais brasileiras em população – Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, e os produtos e quantidades analisados variam conforme os hábitos de consumo locais.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Show Buttons
Hide Buttons