HCN alerta: saiba quais são os medicamentos contraindicados em casos de suspeita de dengue

O uso inadequado de medicamentos não só agrava os sintomas, como também pode desencadear complicações sérias e potencialmente fatais

0

Goiás vive o pior cenário da dengue desde a década de 90, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO). Ao todo, o estado registra em 2024, 21.513 casos confirmados da doença. Esse dado, somente nas primeiras sete semanas de 2024, corresponde a 31% do número de casos registrados em todo o ano de 2023.

Pensando nisso, o Hospital Estadual do Centro-Norte Goiano (HCN), unidade do governo de Goiás em Uruaçu, traz alguns alertas sobre medicamentos não indicados em casos de suspeita de dengue. A automedicação pode ser fatal, principalmente em casos de dengue, que têm aumentado significativamente com o clima quente e o aumento das chuvas no início do ano.

HCN - Hospital Estadual do Centro-Norte Goiano alerta sobre o automedicamento em caso de suspeita de dengue, unidade administrada por IMED - Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento
A automedicação pode ser fatal, principalmente em casos de suspeita ou confirmação da dengue. (Foto: Divulgação/Freepik)
Leia Também
1 De 435

De acordo com a farmacêutica do HCN, Brunna Rodrigues Cunha, os principais sintomas da doença normalmente são febre alta, dores no corpo e na região dos olhos, além de náuseas e manchas vermelhas na pele. “Alguns medicamentos são contraindicados em casos de suspeita ou confirmação da dengue, por isso é importante evitarmos a automedicação”, reforça a farmacêutica da unidade de saúde administrada pelo Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento – IMED.

Medicamentos como ácido acetilsalicílico (aspirina) e outros anti-inflamatórios, como ibuprofeno, diclofenaco e nimesulida são estritamente contraindicados em casos suspeitos de dengue. Estes medicamentos têm propriedades anticoagulantes e podem aumentar o risco de sangramentos, o que é especialmente perigoso em casos de dengue, onde hemorragias são uma complicação comum.

“Além disso, é importante nos atentarmos às notícias falsas e estudos sem comprovação científica sobre medicamentos para tratamento da dengue, que vem sendo disseminados nas redes sociais. Temos que ter cuidado com essas notícias, pois a dengue não possui tratamento específico por ser uma doença viral”, ressalta Brunna Rodrigues.

Quando se trata de suspeita de dengue é fundamental seguir orientações específicas sobre quais medicamentos evitar, pois o uso incorreto pode levar a complicações graves. No entanto, muitas pessoas recorrem a medicamentos sem prescrição de um médico, o que pode agravar ainda mais os sintomas da doença.

No caso de suspeita de dengue, a principal recomendação é hidratar-se e buscar uma Unidade Básica de Saúde próxima o quanto antes para receber o tratamento correto com as medicações adequadas.

Portanto, é crucial que os pacientes estejam cientes das precauções necessárias em casos de suspeita e sigam estritamente as orientações médicas. O uso inadequado de medicamentos pode não apenas agravar os sintomas, mas também desencadear complicações sérias e potencialmente fatais. Sempre consulte um profissional de saúde para obter orientação adequada e tratamento seguro.

 

Assessoria de Comunicação do HCN

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Show Buttons
Hide Buttons